Número total de visualizações de página

Produções Teatrais

"Falar verdade a mentir", de Almeida Garrett - 2000 e 2001

A peça “Falar Verdade a Mentir”, de Almeida Garrett foi estreada em 2000, no Teatro Diogo Bernardes e esteve em cena até 2005, sendo durante este período representada várias vezes para os alunos das escolas do concelho de Ponte de Lima. Com esta peça dava o seu contributo na comemoração do bicentenário do nascimento de Almeida Garrett.




O Falar Verdade a Mentir é uma comédia em que os personagens se debatem constantemente com uma chuva de mentiras que geram as mais diversificadas e absurdas situações. Duarte, o noivo de Amália, tem o “maldito” hábito de mentir, o que acaba por colocar em risco o prometido casamento com a sua amada, filha de um ricaço, o Sr. Braz Ferreira, do Porto, que sendo um homem honrado e honesto, não suporta a mais pequena mentira. José Félix, o criado do General Lemos e amigo de Duarte, e Joaquina, criada de Amália, estão apaixonados, mas o seu casamento depende do casamento de Amália e Duarte. Os dois habilidosos criados empenham-se para que as mentiras, constantemente ditas por Duarte, se transformem em verdades. O Falar Verdade a Mentir resulta de um jogo de palavras, onde a mentira e a verdade caminham lado a lado, confundindo o próprio Duarte e levando-o a duvidar das suas mentiras.

Os adereços desta peça foram da responsabilidade de Margarida Fernandes, a execução dos cenários de Porfírio Barbosa, o desenho de luz foi da responsabilidade dos alunos do Curso de Técnicos de Luz e Som (promovido pelo INATEL, Câmara Municipal e “Unhas do Diabo”); o operador de Som e Luz foi Verónica de Magalhães.


"Farsa de Inês Pereira", de Gil Vicente - 2005
 
Depois dos “Caminhos da Índia”, espectáculo inspirado em duas obras de Gil Vicente, seguiu-se a “Farsa de Inês Pereira” que foi preparada durante o ano de 2004 e subiu ao palco, do Teatro Diogo Bernardes, em Abril de 2005, tendo sido representado duas vezes na mesma noite, facto que também marca o trabalho teatral do grupo “Unhas do Diabo”.

Com este trabalho procurou o “Unhas” trazer a população do concelho de Ponte de Lima ao Teatro Diogo Bernardes, por isso foi representada apenas neste espaço em Ponte de Lima. A convite de outras associações congéneres a peça foi apresentada no Festival de Teatro Eixo, em Aveiro, no Teatro Sá de Miranda, em Viana do Castelo e em Chafé, por convite da Associação Cultural desta localidade.

Como actores participaram Andreia Crasto, a Inês; Gorete Moreira, a mãe; Fernanda Martins, Leanor Vaz; Filomena Palma e André Alves, os judeus casamenteiros; Artur Ferreira, o Escudeiro; Ana Magalhães, o Moço do Escudeiro; Miguel Franco, Pêro Marques, o marido enganado; Paulina Pereira, Luzia, a amiga de Inês; Paulo Pereira, o Ermitão, apaixonado por Inês e Marta Lurdes, Margarida Lopes, Bruno Alves, Camila Silva os figurantes. A equipa técnica contou com a participação de Dantas Lima, responsável pela concepção do espaço cénico, desenho de luz e encenação; Margarida Fernandes na direcção de cena; Sr. Malheiro na montagem e operação de luz e som; os figurinos da responsabilidade de Dantas Lima e a sua confecção de Maria do Céu Moreira; o programa e pesquisa biográfica de Gena Lima e o cartaz de Miguel Franco.


Lenda "Unhas do Diabo" - 2007

Este trabalho foi concebido, no ano de 2007, com a finalidade de participar no concurso Teatrália, promovido pela INATEL, tendo obtido o 2º lugar na fase regional de Viana do Castelo. Após esta participação o espectáculo foi reformulado de forma a poder ser apresentado em outros espaços e sem condicionantes regulamentares. A encenação desta lenda limiana foi posteriormente apresentada ao público no local onde supostamente terão ocorrido os factos nela relatados, Igreja de Santo António, no Museu dos Terceiros, na vila de Ponte de Lima, podendo constatar-se a marca das “unhas do diabo” numa pedra existente no local. O público aderiu de forma entusiástica, pois tomou real conhecimento da Lenda e do seu enquadramento no Museu dos Terceiros. Por outro lado pretendeu a Associação divulgar a razão pela qual foi baptizada com o nome de “Unhas do Diabo”.




"O Dispensário" de Sean O' Casey - 2008

O grupo de teatro "Unhas do Diabo" vai levar à cena, no próximo dia 23 de Fevereiro, no teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, a representação da peça "O Dispensário" de Sean O'Casey. Dada a grande procura de bilhetes, o grupo decidiu efectuar duas actuações no mesmo dia, uma pelas 21.30 horas e outra pelas 23.00 horas. Os dois espectáculos encontram-se neste momento esgotados, com a sala do teatro completamente esgotada. Como cenário, foi construida uma estrutura de uma casa completa, da autoria de Marco Lopes, onde decorrerá toda a acção. De acordo com o encenador, Dantas Lima, "Ao nosso lado, à nossa frente ou atrás de nós, há sempre alguém que sofre as agruras de uma sociedade cada vez mais insensível e apoiada na regra do desleixo, da injustiça e do pragmatismo dos interesses instalados. Vem tudo isto a propósito da escolha do texto de Sean O’Casey “O Dispensário” que será por nós levado à cena como proposta de uma sinal de alerta. Infelizmente, tal como no inicio do séc. XX também o inicio do séc. XXI e do milénio II d.C. este texto enquadra as mesmíssimas questões que O’Casey presenciou num tal “Dispensário” (Centro de Saúde) da sua Irlanda."







"Auto da Barca do Inferno", de Gil Vicente, no rio Lima - 2010

O grupo de teatro "Unhas do Diabo" vai levar à cena, nos próximos dias 2, 3 e 4 de Julho de 2010, pelas 21.30 horas, nas margens do rio Lima, na vila de Ponte de Lima, junto aos arcos da ponte medieval, a peça "Auto da Barca do Inferno" de Gil Vicente, com encenação de Dantas Lima. Ficam desde já, todos os curiosos e interessados, convidados a comparecerem no espaço cénico especialmente concebido para os receber nessas três noites e espectáculo.


No passado fim-de-semana de 2, 3 e 4 de Julho de 2010 a Vila de Ponte de Lima teve a oportunidade de assistir a uma grande produção do grupo de Teatro da Associação Cultural “Unhas do Diabo”. Este trabalho teve a ousadia de integrar o espaço natural das margens do Rio Lima, junto à Ponte Medieval, numa representação original do “Auto da Barca do Inferno”, de Gil Vicente, com encenação de Dantas Lima, registando lotação esgotada ao longo dos três dias de representação (2, 3 e 4 de Julho), com uma moldura humana, que além das bancadas, ocupou todo o espaço envolvente do cenário, num total de cerca de 1500 espectadores.


Para que este espectáculo fosse possível contou-se com a colaboração da empresa de luz e som GAM (Galeria de Arte Musical), garantindo um trabalho visual de grande efeito cénico, dos barqueiros Francisco Dantas e Luís Dantas, que em segurança, “conduziram” as barcas do paraíso e do inferno pelo rio Lima, das incansáveis Isabel Pereira e Idalina Magalhães que receberam e acomodaram espectadores e convidados, dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima que garantiram a segurança de actores e espectadores, de Amândio Vieira que registou para a posteridade os momentos, ora gravando, ora fotografando actores, cenários e cenas, ao Município de Viana do Castelo que gentilmente nos cedeu as bancadas, ao Município de Ponte de Lima que rapidamente nos encorajou a concretizar o projecto, apoiando o grupo de teatro na logística de transporte e montagem de cenários e licenças, ao Centro Equestre do Vale do Lima pela disponibilidade e paciência demonstrada pela utilização de um cavalo para o Fidalgo, aos membros do grupo de teatro pela dedicação e sacrifício que significou a entrega a este projecto, e por fim, a todos aqueles que de forma directa ou indirecta contribuíram para que o resultado se saldasse num êxito sem paralelo no panorama teatral limiano.




"Os Caminhos da Índia" no Largo da Picota - 2011

A Associação Cultural “Unhas do Diabo” pretende este ano levar à cena a peça “Os Caminhos da Índia”, com textos de Gil Vicente (“Auto da Barca do Inferno” e sobretudo o “Auto da Índia”) e Amélia Pinto Pais (adaptação dos “Lusíadas” para o público infantil e juvenil) e a colaboração de um grupo de 10 estudantes da República de Cabo Verde.
Dada ser uma representação com textos, maioritariamente de um autor clássico do teatro português, que já foi (e é) sobejamente representado, o grupo lançou-se ao desafio de produzir uma representação que, cruzando alguns textos do autor, fosse fiel à perspectiva e visão do mesmo sobre a epopeia dos Descobrimentos e das suas consequências para a sociedade portuguesa de então.


Onde: propomo-nos realizar o espectáculo no Largo da Picota, junto à Biblioteca Municipal de Ponte de Lima e ao pano de muralhas medievais aí existentes.
Quando: no dia 26 de Março, sábado, de 2011, pelas 21.30 horas.
Cenário: o cenário será montado no Largo da Picota, junto à Biblioteca Municipal de Ponte de Lima, à Torre da Cadeia Velha (mandada construir pelo rei D. Manuel I) e ao pano de muralha medieval da antiga judiaria. Será montada uma estrutura multiusos móvel com 6 metros de altura, adornada com velas quadrangulares e velas latinas, que tomará a forma de caravela e de quarto, acompanhando o desenrolar de todo o enredo. O largo será adornado com pendões reais e a Cruz de Cristo alusivas aos reinados e à época dos Descobrimentos Portugueses.
Concepção do cenário: O cenário foi idealizado tendo em conta uma parte do conjunto arquitectónico medieval da Vila de Ponte de Lima, contemporâneo da época dos textos e dos acontecimentos vicentinos. A representação ao ar livre, na rua, justifica-se para tentar aproveitar o envolvimento urbano da mesma, proporcionando um enquadramento natural e real aos acontecimentos, por um lado, e por outro retirar a representação do seu espaço natural, o palco, e levá-lo para junto dos transeuntes e visitantes, numa lógica tão cara ao grupo de teatro “Unhas do Diabo”, o de levar o teatro ao encontro das pessoas.






"Ponte de Lima em Festa" - 2012

O grupo de Teatro “Unhas do Diabo” participou, ao longo de alguns anos, nos concursos Animar Portugal e Teatrália, organizados pelo INATEL, tendo ganho por várias vezes a fase local e regional, garantindo assim a sua presença na fase final. Inclui já no seu historial um 2º prémio, conseguido em Dezembro de 2004, aquando da Fase Nacional do Concurso “Animar Portugal”, com a peça “O Minho em Festa”, realizado no Auditório Camões, em Lisboa. No dia 17 de Junho de 2006, foi-lhe atribuído o Primeiro Prémio Nacional com a peça “A Serrada da Velha”, que teve lugar na Aula Magna da Universidade de Lisboa.

Após o sucesso comprovado das temáticas abordadas em ambas as peças, da autoria do grupo de teatro “Unhas do Diabo” e dado o interesse manifestado junto da comunidade local bem como de outras regiões e associações culturais, surgiu a ideia de “fusão” do “Minho em Festa” com a “Serrada da Velha”. Como corolário, foi criada a peça “Ponte de Lima em Festa”, como uma mostra das tradições, festas e romarias mais significativas do Concelho de Ponte de Lima.


A trama gira à volta de duas cenas: uma casa típica do Minho, onde habita uma “velha” preocupada com o namoro da sua neta e uma tasca, onde dois amigos, à conversa e à mistura com muito vinho e petiscos, criam um conjunto de peripécias que os remetem constantemente para as mais variadas tradições de Ponte de Lima: serrar a velha, cantar ao desafio, vaca das cordas, cabeçudos, compasso, jogo do cântaro, rusgas, Feiras Novas… envolvido numa constante profusão de cores, movimento, dança e música.


"Lenda Unhas do Diabo" - 2012

A Associação, ao estabelecer o plano de actividades para 2012, confrontou-se com a realização da IIª edição do RUARTE – Festival de Teatro de Rua de  Ponte de Lima, em parceira com o Município e a necessidade de conceber um espectáculo de abertura do evento que constituísse um marco no teatro de rua em Ponte de Lima. Após uma fase de ponderação de várias possibilidades, afigurou-se-nos como natural a adaptação da lenda para as características do teatro de rua, constituindo sem margem para dúvidas, uma oportunidade única de a tornar conhecida do grande público e dar-lhe as honras de abertura de um  evento que já começa a ter projecção nacional.
A encenação, mais uma vez, está a cargo de Dantas Lima, que concebeu uma estrutura dramatúrgica digna de um desafio de “Ulisses”! A tarefa não foi fácil e muito menos livre de obstáculos… sobretudo técnicos, de efeitos especiais e de recurso humanos. No entanto ela aqui está. Para isso contamos com um conjunto de parcerias fundamentais que irão, com certeza, tornar a representação única, tentando, desta forma, envolver a comunidade bem como desafiar instituições que tradicionalmente não têm por ofício o Teatro, numa tentativa de criar linguagens novas, mais apelativas e emotivas.



 
 


 


 
 
 
 
 
 
 
"Maria Minhoca" - 18 Maio 2013

A Associação Cultural "Unhas do Diabo", com o apoio do Município de Ponte de Lima, apresenta a peça "Maria Minhoca", de Maria Clara Machado, no dia 18 de Maio, no Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, com encenação de Dantas Lima. A entrada é gratuita.
 
 





 

 
 
"Auto da Barca do Inferno" - 7 Junho 2013

A Associação Cultural "Unhas do Diabo" e o grupo de música medieval "Al Medievo", de Vila Pouca de Aguiar, Pirotécnia Minhota, Centro Equestre do Vale do Lima, Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima, Comissão de Festas da Vila de Punhe, apresentam a peça "Auto da Barca do Inferno" de Gil Vicente, com encenação de Dantas Lima, nas margens dio rio Lima, junto aos arcos da ponte medieval. O presente espectáculo servirá de abertura oficial do RUARTE/MERCADO DAS ARTES 2013, no dia 7 de junho, pelas 22.00 horas.